A Espiritualidade claretiana

 

O dom recebido por Claret continua e se desenvolve em nossa Congregação, o que nos faz perceber algumas coincidências essenciais entre o Instituto e o Fundador:

 

  • Princípio organizador: Podemos resumir na palavra “missionário” o nosso patrimônio carismático. Sentimo-nos comunidade convocada pelo Espírito para o anúncio da Palavra; sabemos que fomos chamados a viver como “missionários apostólicos”, a estilo dos Apóstolos. Isso implica na vivência dos conselhos evangélicos em comunidade de vida com Jesus e com os irmãos, para sermos enviados a proclamar a todo o mundo a Boa Nova do Reino.

 

  • Primazia da Palavra de Deus: Nós herdamos de Claret uma espiritualidade de ouvintes e servidores da Palavra. Acolher a Palavra que nos torna discípulos, anunciá-la e testemunhá-la, é nosso modo de seguir a Jesus. Contemplamos o Mestre e escutamos sua Palavra para anunciar o Reino, abrindo-lhe nosso coração e partilhando as angústias e esperanças de nossos irmãos.

 

  • Centralidade de Cristo: Claret viveu sua espiritualidade num processo que parte de “uma profunda sintonia de amizade com Jesus Cristo (sobretudo através do sacramento eucarístico), dessa intimidade com o Filho foi paulatinamente descobrindo a figura Deus Pai, que envia Jesus por amar o mundo”. Pe. Claret plasma seu ideal desde “a configuração com Cristo consagrado e enviado pelo Pai para a redenção do mundo” através da “imitação exterior das chamadas virtudes apostólicas e da vivência de suas atitudes interiores e da plena transformação: é Cristo que vive em mim”. Também definimos nosso ser missionário como identificação com Cristo Evangelizador. A partir da celebração eucarística, vivemos a íntima comunhão com Ele. Aí tem origem tudo o que somos e fazemos.

 

  • A mediação iniludível de Maria: No Fundador e em nós se dá uma espiritualidade cordimariana. Claret nos apresentou o Coração de Maria como a forja ardente onde nos formamos para o ministério. A Congregação dos Missionários Claretianos descobre e aprende no Coração de Maria o caminho da escuta. Habitada pela Palavra, não viverá dividida, nem será insensível aos clamores de Deus nos homens. “Nosso estilo profético de vida recebe do Coração Imaculado de Maria, mãe da Congregação, um estilo peculiar. Ela nos ensina que, sem coração, sem ternura, sem amor, não há profecia digna de crédito”.

 

  • Espiritualidade integradora: Em sua Autobiografia nosso Padre Fundador exemplifica a espiritualidade a partir do caráter simbólico de objetos e animais, aberto à presença salvadora na harmonia da criação. Claret demonstra assim ser também seguidor do Jesus das Parábolas, que nos propôs como modelo para o ministério.

 

  • A síntese da espiritualidade que recebemos de Claret é esta: “O Espírito do Pai e do Filho – Espírito também de nossa Mãe – é o centro integrador de todas as dimensões de nossa vida e missão”. A partir dele nos consagramos “a Cristo e ao Coração de Maria, em perfeita vida apostólica e evangélica, orando e sofrendo pela salvação dos homens para a glória de Deus Pai”. Esta experiência de graça, partilhada desde o princípio com um grupo de companheiros a quem o Senhor havia dado o mesmo espírito, é o fundamento de nossa existência carismática na Igreja.

 

(Fonte: BOCOS, Aquilino. Nossa Espiritualidade Missionária no caminho do Povo de Deus. Roma, 2002)

Compartilhar: